30 rappers brasileiros para conhecer e enaltecer a cultura do país

Escrito por Aline Saab

O rap é uma modalidade que ganha cada vez mais destaque nacional, seja pela mensagem que transmite nas letras, o ritmo ou a poesia, o seu espaço vem crescendo e com ele se destacam os artistas. Muitas vezes deixamos de apreciar a cultura que nos cerca e prestamos mais atenção à outras que não são nossa realidade diária.

Pensando nisso, listamos 30 rappers brasileiros para você conhecer e entender um pouco mais da cultura Hip Hop e o que ela tem a dizer sobre o nosso país.

1. Cynthia Luz

A rapper Cynthia Luz é uma das mais belas vozes femininas do cenário do rap nacional. A mineira iniciou a carreira fazendo vídeos e entrou para a equipe do rapper Froid. Lançou seu primeiro álbum intitulado “Do Caos ao Nirvana” em 2017, que tem como uma das principais canções a faixa “Deixa Ela”.

2. Fabio Brazza

Fabio Brazza é um rapper e poeta que consegue unir como ninguém as melhores rimas em um hip hop com letras que variam entre crítica social, vivências e principalmente, sobre o Brasil. Unindo ritmo e poesia, o cantor lançou seu primeiro álbum em 2014 chamado “Filho da Pátria”.

3. Drik Barbosa

Nascida em 1992 em Santo Amaro, Adriana Barbosa, mais conhecida como Drik Barbosa, é uma cantora e compositora brasileira em ascensão por sua bela voz e parcerias. A rapper fez sucesso com sua participação nas cyphers “Poetisas no Topo” e “Poetas no Topo 3.1”, como também na música “Mandume” de Emicida. Em 2018, a cantora lançou seu álbum solo intitulado “Espelho” pela gravadora Laboratório Fantasma e, além de carreira solo, a rapper é integrante do projeto Rimas&Melodias.

4. Choice

Mesmo sendo um dos MC’s mais jovens da lista, Choice esbanja maturidade nas suas letras que refletem assuntos como família e problemas sociais. Ele começou a desenvolver sua carreira participando de batalhas de MC’s no Rio de Janeiro e traz isso para suas canções. O rapper fez parte de alguns clássicos acústicos realizados pelo canal Pineapple Storm, como os hits “Capricorniana” e “Descompasso do Compasso”. Também ficou conhecido pelo seu single “Super Hip Hop”.

5. Clau

Ana Cláudia Scheffer Riffel, mais conhecida pelo nome artístico Clau, se tornou popular pelos videoclipes postados no Youtube, principalmente pela música “Pouca Pausa” que conta com a participação dos grupos Haikaiss e CortesiaDaCasa. Com milhares de ouvintes mensais no Spotify e milhões de visualizações no Youtube, as músicas “Relaxa” e “Me Sentir” também são sucessos da cantora.

6. Lívia Cruz

A pernambucana Lívia Cruz também é um dos principais nomes femininos no cenário do rap nacional. Desde os 14 anos a cantora participa de grupos de rap em Recife, sua cidade natal. Lívia muitas vezes aponta em suas letras o machismo que existe nesse meio, o preconceito e dificuldades difundidas por ele, por exemplo, no sucesso “Eu tava lá”. A sua outra canção, “Mel e Dendê” foi premiada em 2009.

7. Djonga

Gustavo Pereira Marques, mais conhecido como Djonga se destacou por criticar principalmente a questão social existente no Brasil e transcrever sobre sua realidade em rimas e trocadilhos agressivos, ao mesmo tempo que são inteligentes e humorados. Em 2017, o álbum “Heresia” foi um sucesso e consolidou o cantor na cena nacional. Um ano depois, em 2018, Djonga lançou “O Menino que Queria Ser Deus” e continuou adorado por sua personalidade e técnica, se tornando um dos rappers mais respeitados da nova geração.

8. Froid

De Brasília, Renato, mais conhecido como Froid, é mais um cantor que ajuda a descentralizar a cena do rap do eixo Rio de Janeiro – São Paulo. Conhecido pelo seu single “Pseudosocial” (2016) e pelo sucesso de seu primeiro álbum “O pior disco do ano” (2017), o rapper tem uma forma autêntica e única de rimar.

9. Flora Matos

Também vindo de Brasília, Flora Maia Matos (30 anos) foi criada por uma família de artistas, frequentou bailes de RAP e se tornou MC. Em 2011 lançou o single de sucesso “Pretin” com vídeoclipe que, na época, foi Top10MTV e, a partir de então, a rapper se apresentou em grandes festivais nacionais. Em setembro de 2017 lançou seu primeiro disco, o “Eletrocardiograma”, de forma independente e tem hits como “Preta de Quebrada” que trata sobre empoderamento feminino e “Como Faz”, que canta sobre relacionamentos.

10. Febem

Conhecido como Febem, Felipe Desidério, mora em São Paulo, é rapper e ex-integrante do grupo Zero Real Marginal (ZRM). Em 2016, lançou o seu primeiro solo, o álbum intitulado “Elevador” que tem músicas como “Castelo Vazio” e “É Memo Mestrão” que possui a participação de Don Cesão. Em 2017, apresentou o EP Prata que conta com canções como “Ímpar”; “Prata” e “Rosas”. Singles como “Bandida” e participações como na cypher “Atleta do Ano” também são importantes para sua carreira.

11. Coruja Bc1

Assinado pela Laboratório Fantasma, gravadora do rapper Emicida, Gustavo Vinicius Gomes de Sousa, ou melhor, Coruja Bc1, nasceu em Osasco, mas foi criado em Bauru, interior de São Paulo. Conhecido por suas “Punchlines”, frases de impacto em suas letras, o rapper escreve sobre suas vivências e transmite uma mensagem sincera a seu público. O álbum intitulado NDDN, lançado em 2017, é referência do seu trabalho e conta com participações de artistas como Rael, Tiê, Emicida e outros.

12. Bivolt

Bárbara Bivolt canta desde os doze anos de idade e é conhecida entre as MCs brasileiras. Moradora de São Paulo, a rapper frequentou muitas batalhas paulistanas da zona Sul e desenvolveu a sua sonoridade nos duelos. A paulistana já gravou videoclipes também com diretores internacionais e tem singles importantes como “Olhar pra Mim”; “Doce” e “Entre tu e meu Som”.

Ela também já fez uma participação especial no Rock in Rio em 2017. Bivolt é mais uma mulher nesse cenário majoritariamente masculino que contribui para empoderar mulheres com seu talento e dedicação.

13. Baco Exu do Blues

O rapper baiano Diogo Moncorvo, mais conhecido pelo nome artístico Baco Exu do Blues, vem contribuindo para a cena do rap nacional principalmente desde o lançamento de “Tropicália” e “Sulicídio” (2016) e de “Te Amo Disgraça” (2017). O cantor gosta de traduzir a realidade baiana em sua letras e provoca os rappers do sudeste com “Esú”, que foi o seu primeiro álbum e não decepcionou o público.

Em novembro de 2018 apresentou o disco “Bluesman”, que contém 9 faixas. Nele, o rapper desabafa sobre assuntos importantes como autoestima, depressão, bipolaridade e racismo, com uma musicalidade única e talentosa, entregando uma obra profunda.

14. Don L

De Fortaleza, Gabriel Linhares da Rocha ou Don L, é ex-integrante do grupo Costa a Costa e lançou seu primeiro álbum em 2013, o “Caro Vapor/Vida Veneno”. O artista é conhecido por sua criatividade nas letras com referências de músicas, filmes, artes, abusando da ironia. Em 2017, divulgou seu disco “Roteiro Pra Aïnouz vol.3” que diz ser uma trilogia contada ao contrário de suas vivências. “Aquela Fé”, “Eu Não Te Amo” e “Mexe pra Cam” são as faixas mais famosas deste álbum.

15. BK

Nascido em 1989, Abebe Bikila Costa Santos, conhecido como BK, se divide entre sua carreira solo e como integrante do grupo carioca Nectar Gang. Em 2016, lançou seu álbum solo “Castelos & Ruínas” que conquistou seu público, além de participar de cyphers de sucesso como “Poetas no Topo”, “Favela Vive 2” e “Poesia Acústica 2”. Ele é um dos principais nomes da nova escola do rap nacional e, se você acha exagero, reclame com BK.

16. Tássia Reis

Com uma melodia primorosa e uma voz inconfundível, a cantora Tássia Reis, que é de Jacareí (SP) ingressou sua carreira no hip hop a partir da dança. A rapper é uma voz importante para a causa do feminismo negro e começou a se destacar na cena musical com o clipe “Meu Rapjazz” em 2013 e a fazer participações em outras canções de MCs. Seu primeiro trabalho solo foi em 2014 com o álbum que carrega o seu próprio nome.

17. Rincon Sapiência

Eleito como artista do ano pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) no ano de 2017, Danilo Albert Ambrosio, reconhecido pelo nome artístico Rincon Sapiência, iniciou sua carreira em 2000, mas se tornou mais conhecido a partir de 2009 com seu single “Elegância”. No ano de 2016 lançou seu maior sucesso, “Ponta de Lança”, que o consagrou na carreira nacional.

18. Sant

Natural de Pilares, bairro da zona norte do Rio de Janeiro, o MC Sant foi apresentado para o rapper Marechal que o adotou como um aprendiz e lhe abriu caminhos. Frequentador de batalhas de rimas, o carioca canta sobre problemas familiares e questões sociais. Em 2015, lançou o clipe do seu single “O que separa os homens dos meninos” e também o de “O Tempo Passou”. Em 2017, o rapper fez sucesso por sua participação na cypher “Capricorniana” que atingiu mais de 100 milhões de visualizações no youtube.

19. Mariana Mello

Cantora e compositora, Mariana Mello tem uma personalidade forte e uma linda voz que encanta ao mesmo tempo que transmite uma mensagem de força e luta ao seu público. A rapper lançou seu primeiro EP em 2017, denominado “Eu, Mariana” que tem o sucesso “Universo em Crise”. Além disso, os singles como “Me Disseram” e “Da Onde Eu Vim” são importantes na carreira da artista que participou da famosa cypher “Poetisas no Topo” composta apenas por mulheres.

20. Diomedes Chinaski

Morador de Recife, o nordestino Diomedes Chinaski desenvolve letras agressivas, intensas, com a linguagem das ruas e rica em seu flow. Integrou o grupo Chave Mestra com outros MC’s e é a outra voz do single “Sulicídio” que o solidificou no cenário nacional. Levando a voz do nordeste para o mundo, o pernambucano vem lançando EPs desde 2010.

21. Karol de Souza

Outra mulher que representa muito bem o cenário do rap nacional é Karol de Souza. Com autenticidade e verdade em suas faixas, a rapper curitibana escreve sobre essência feminina e em 2013 lançou sua mixtape “Rap Até o Fim”, que é uma compilação de todos os seus singles até então apresentados. A cantoras integra o coletivo Rimas e Melodias e participou da cypher “Poetisas no Topo” já aqui citada.

22. Emicida

Outro nome de peso para a música brasileira é Leandro Roque de Oliveira, ou melhor, Emicida. Além de rapper, Emicida é produtor musical e tem sua própria gravadora independente, a Laboratório Fantasma. O cantor tem vários álbuns lançados como “Emicidio”; “Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa”; “O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui”; entre outros. Também conta com diversas parcerias com cantores de outros gêneros musicais além do rap/hip hop.

Emicida já ganhou prêmios em diferentes categorias e com diversos singles de sucesso. Ele canta sobre suas vivências e aprendizados ao decorrer da vida de uma forma verdadeira que gera uma identificação com o seu público.

23. Kayuá

Rapper e compositor, Kayuá Cavalcante, mora no Rio de Janeiro e foi no ano de 2014 que encarou a música profissionalmente lançando “Beijo de Judas”. Membro do coletivo “O Mundo Ao Norte” junto com os MCs Sant e Tiago Mac, seu álbum “Quatro Estações’ de 2017 foi um importante marco em sua carreira. Algumas faixas de sucesso são “Sobre Nós”; “Teu Popô”; “Frio” e “Leões” entre outras.

24. Luiz Lins

Luiz Lins é mais uma das vozes do nordeste brasileiro no cenário do rap. Conhecido pelas músicas românticas e melodias calmas, o cantor participou da cypher “Poesia Acústica: Sobre Nós” e tem mais de 8 milhões de acesso no single “Saudade”. O dono do sucesso “A Música Mais Triste do Ano” esbanja versatilidade ao cantar com outros rappers e é um dos nomes de destaque no gênero R&B (Rhythm and Blues).

25. Rico Dalasam

Cantor, compositor e rapper brasileiro, Jefferson Ricardo da Silva, mais conhecido pelo nome artístico Rico Dalasam, é uma voz que representa o público LGBT dentro do cenário musical do rap. Conhecido pela parceria na música “Todo Dia” com a drag queen Pabllo Vittar em 2017, o rapper tem 3 discos divulgados e suas letras tratam de assuntos como aceitação, sexualidade, racismo e preconceito. O artista também tem parceria com rappers como Emicida, Tássia Reis, Rincon Sapiência e outros.

26. Mano Brown

Este é um dos primeiros nomes que vem à mente quando se trata de rap nacional. Vindo de uma longa trajetória, o rapper Mano Brown é um dos integrantes do famoso grupo Racionais MC’s que está entre as bandas mais influentes do país. Em dezembro de 2016, o cantor iniciou paralelamente carreira solo lançando seu álbum “Boogie Naipe” que tem melodias do soul ao funk. O artista também é compositor e é autor dos sucessos de seu grupo como “Vida Loka I”, “Vida Loka II”, “Jesus Chorou”, “Da Ponte Pra Cá”, entre outras faixas que mudaram o panorama do rap no país.

27. NaBrisa

Mais uma mulher que representa o gênero nessa esfera do rap nacional é Sabrina Tonett, ou melhor, NaBrisa. Dona de uma voz poderosa, fez parte de composições de sucesso como “Você Vai Entender” e “Poetisas no Topo” entre outras parcerias em faixas com nomes como Cynthia Luz e Pocahontas. A cantora tem singles divulgados como as canções “É Incrível”, “Favela”, “Ovelha Negra” entre outras.

28. Criolo

Outro reconhecido talento da cena é o rapper Criolo, que está em atividade desde 1989. O dono da famosa faixa “Não Existe Amor Em Sp”, relançou, em 2016, o seu álbum “Ainda Há Tempo”, o primeiro de sua carreira, com novos beats e algumas mudanças nas letras para se adequar aos dez anos que se passaram. “Convoque Seu Buda” (2014) também é composto por faixas de sucesso e seu último álbum divulgado foi o “Espiral de Ilusão”, em 2017. Seu último trabalho foi o single “Boca de Lobo”, lançado em setembro de 2018, que é uma crítica à situação política do país.

29. Rael da Rima

Compositor desde os 16 anos, Rael da Rima (nome artístico) foi integrante do grupo paulistano Pentágono e, após 10 anos com a banda, seguiu carreira solo. Seu primeiro trabalho solo foi o álbum “Ainda Bem Que Eu Segui as Batidas do Meu Coração” (2013), pela produtora Laboratório Fantasma. Uma das suas canções mais escutadas é “Envolvidão”, lançada em 2014.

30. Clara Lima

Nascida em 1999, na cidade de Belo Horizonte, Clara Lima surgiu das batalhas do Viaduto de Santa Tereza de BH e integra o grupo DV Tribo. Apesar da pouca idade, a rapper participou de faixas como “Hey Marciano” e “Poetas no Topo 3.1” com grandes nomes como Cynthia Luz, Nocivo, Rincon Sapiência, entre outros. Em agosto de 2017, lançou seu primeiro álbum “Transgressão” pela gravadora Ceia Ent.

Gostou de conhecer esses rappers? Agora você pode dizer que conhece um pouco mais da cultura do Brasil, que é tão diversificada, e também da cultura do Hip Hop. Confira também nossa lista de cantoras brasileiras e renove sua playlist!