60 cantores brasileiros que te farão aumentar o volume no máximo

Escrito por Jonara Cordova

O que não falta, na nossa produção musical, são cantores brasileiros dos mais variados gêneros que arrasam e criam grandes sucessos. Seja no passado ou na atualidade, nossos músicos nos divertem, emocionam e até nos fazem dançar com canções que embalam a trilha sonora das nossas vidas. Selecionamos uma lista com sessenta cantores brasileiros de todas as épocas e estilos musicais para você conhecer ou relembrar. Coloque o fone de ouvido e confira!

1. Mano Brown

O rapper, cantor e compositor paulista Mano Brown é integrante do Racionais MC’s, o maior grupo de rap do Brasil, desde 1988. Recentemente, o cantor iniciou carreira solo, lançando seu primeiro álbum sozinho, que se chama Boogie Naipe, em dezembro de 2016. Diferente das músicas que costuma cantar com o grupo, neste trabalho solo, ele utiliza referências do soul e do funk dos anos 70 e 80.

2. Erasmo Carlos

O carioca Erasmo Carlos é cantor, compositor e músico multi-instrumentista, além de escritor. Conhecido como o Tremendão, ele chegou a fazer parte da banda Renato e Seus Blue Caps, em 1963, onde permaneceu por dois anos. Então, iniciou sua carreira solo, se tornando um dos principais nomes da Jovem Guarda. Também tem diversos trabalhos produzidos com Roberto Carlos.

3. Renato Russo

O cantor e compositor Renato Russo iniciou sua carreira musical em 1978, na banda Aborto Elétrico, que tinha como referência o punk rock inglês, levando o gênero para Brasília. Em 1981 a banda rompeu e Renato tocou sozinho por um tempo, até formar a Legião Urbana, banda que o consagrou nacionalmente com músicas muito famosas como Eduardo e Mônica e Faroeste Caboclo. O músico morreu em 1996, com 36 anos, por complicações causadas pelo HIV.

4. Rael da Rima

Conhecido artisticamente como Rael da Rima, o cantor, compositor e rapper paulista Israel Feliciano fez parte do grupo de rap Pentágono por mais de 15 anos. Em 2010, o músico produziu seu primeiro single solo, que se chama “Trabalhador”, além de lançar seu primeiro disco solo, o MP3 – Música Popular do 3º Mundo. O rapper já fez parceria com diversos outros cantores brasileiros do gênero, como Emicida, Mano Brown e Criolo.

5. Rincon Sapiência

O rapper, cantor e compositor paulista conhecido pelo seu nome artístico Rincon Sapiência iniciou sua carreira musical no ano 2000, na banda Munições da 38. Ao longo dos anos, ele fez parte de vários grupos. Já em carreira solo, ele lançou o single de grande sucesso chamado “Elegância”, que teve seu clipe indicado no VMB 2010 na categoria “rap”. Em 2016, Rincon lançou “Ponta de Lança”, fazendo sua carreira explodir nacionalmente. Um dos seus trabalhos mais recentes é a parceria com IZA, na música “Ginga”.

6. Jaloo

O cantor, compositor e produtor paraense Jaloo mistura os ritmos de indietronico e tecnobrega nas suas músicas. Ele iniciou a carreira em 2010 produzindo remixes entre músicas nacionais e sucessos estrangeiros, como a música “Oblivion Loló”, que se tornou um sucesso. Em 2015 lançou seu primeiro álbum completo com o selo da gravadora Skol Music. Seu segundo álbum será lançado em 2019, mas algumas músicas já foram divulgadas, como “Céu Azul”, em parceria com Mc Tha, e “Cira, Regina e Nana”, com Lucas Santtana.

7. Caetano Veloso

O baiano Caetano Veloso é um dos mais conhecidos cantores brasileiros MPB. Ele é músico, arranjador, produtor e escritor, e já soma mais de 50 anos de carreira. Em 1968, ele foi um dos líderes do movimento cultural tropicalista, que trouxe composições com jogos de linguagem para tratar sobre a situação política do Brasil durante a ditadura. Ao longo da sua carreira, Caetano recebeu diversos prêmios, como Grammy Latino, Troféu Imprensa, entre outros. Além disso, ele possui mais de 50 álbuns entre os de estúdio, ao vivo e de vídeo.

8. Chico Buarque

O carioca Chico Buarque de Holanda é músico, além de dramaturgo, escritor e ator. Junto de Caetano, ele também está entre os principais cantores brasileiros da MPB, tendo lançado cerca de 80 discos durante a sua carreira, que se iniciou da década de 1960. Algumas de suas músicas mais icônicas, como “Apesar de você” e “Cálice” foram proibidas pela censura durante a ditadura militar, por criticar a situação política. Chico também gravou muitas canções românticas, sendo que em algumas utilizava um eu lírico feminino, como em “Olhos nos Olhos”.

9. Gilberto Gil

O cantor, compositor e multi-instrumentista Gilberto Gil, natural de Salvador, já ganhou diversos prêmios durante a sua carreira, entre eles o título de “Artista pela paz” da Unesco. Gil também foi ministro da cultura entre 2003 e 2008 e tem mais de 50 álbuns lançados. Suas músicas reúnem referências do reggae, da música africana, além de ritmos tipicamente brasileiros. Assim como Chico e Caetano, Gil é um dos principais cantores brasileiros a representarem a MPB e também fez parte do movimento Tropicália.

10. Marcelo D2

O rapper carioca Marcelo D2 começou na música em 1995, quando foi lançado “Usuário”, o disco de estreia do grupo Planet Hemp, que tem diversas músicas defendendo a legalização da maconha no país. Em 1998, D2 lançou seu primeiro álbum sozinho, chamada “Eu tiro é onda”, misturando hip hop com samba em uma fórmula que se tornou muito forte na maior parte das suas produções seguintes. Uma das principais influências do músico é o sambista Bezerra da Silva.

11. Johnny Hooker

Natural de Recife, Johnny Hooker é cantor, compositor, ator e roteirista. O primeiro álbum aclamado do músico foi “Eu Vou Fazer uma Macumba pra Te Amarrar, Maldito”, lançado em 2015. Várias das suas músicas foram utilizadas em trilhas sonoras de novelas e filme. Seu disco mais recente se chama “Coração” e conta com várias canções de sucesso, como “Flutua“, com participação de Liniker, e “Corpo Fechado”, com Gaby Amarantos. Hooker diz que suas grandes inspirações artísticas são David Bowie, Madonna e Caetano Veloso.

12. Filipe Catto

Nascido em Lajeado, no Rio Grande do Sul, Filipe Catto é cantor, instrumentista, compositor, ilustrador e designer. Catto teve contato com a música desde muito jovem, cantando em bailes com seu pai quando ainda era menino. Na adolescência fez parte de bandas de rock. Já em 2006, ele começou a carreira solo, cantando em bares. Seu primeiro EP, chamado “Saga”, foi lançado em 2009 na internet.

13. Ney Matogrosso

O cantor, compositor, dançarino, ator e diretor Ney Matogrosso é natural do Mato Grosso do Sul. Ney assumiu sua homossexualidade com 18 anos e saiu da casa de seus pais. Cantava em bares desde a adolescência e lia muito sobre teatro e música. Em 1973, Ney foi convidado para participar do grupo Secos & Molhados no qual gravou dois álbuns de muito sucesso com músicas como ”O Vira” e “Sangue Latino”.

14. Emicida

O rapper Emicida, natural de São Paulo, começou a se destacar por conta das várias batalhas de rap que vencia. Ele teve suas primeiras composições gravadas em 2005 e o seu mixtape de estreia em 2009, chamado “Pra quem já Mordeu um Cachorro por Comida, até que eu Cheguei Longe”. Em outubro de 2018, ele se juntou cantores brasileiros de rap de outras gerações, como Rincon Sapiência, Mano Brown, Djonga, Rael e BK para gravar a música “O céu é o limite”, tratando da identidade negra no Brasil.

15. São Yantó

Também conhecido como Lineker, o mineiro São Yantó é cantor, produtor, performer, bailarino e diretor. Seu primeiro disco, chamado “eLe” foi lançado em 2012, no qual o músico fez releituras de importantes canções da MPB. Posteriormente, produziu singles que vieram com clipes, como “Leite” e “Gota por gota”. Em outubro de 2017 foi quando o artista que até então era chamado de Lineker mudou seu nome artístico para São Yantó. Junto, foi lançado o EP de mesmo nome, que traz tema como prazer e desejo sexual em suas músicas.

16. Caio Prado

O cantor e compositor Caio Prado, nascido na periferia do Rio de Janeiro, começou a aprender sobre música na Escola Villa Lobos, que é um centro de referência musical. Sua carreira se iniciou em saraus musicais no Rio. Caio faz parte do trio Não Recomendados, com Daniel Chaudon e Diego Moraes, além de ter sua carreira solo, com dois álbuns produzidos. Em suas músicas, luta contra o racismo, LGBTfobia, intolerância religiosa, além de tratar de temas como política e desigualdade.

17. Tim Maia

O cantor, compositor, maestro e produtor musical Tim Maia é o responsável pela introdução dos gêneros soul e funk no Brasil. Reconhecido um dos maiores ícones da MPB, Tim conviveu desde a adolescência com outros cantores brasileiros que mais tarde se tornariam consagrados nacionalmente, como Erasmo Carlos e Jorge Ben Jor. O músico teve muitos problemas de saúde e acabou falecendo em 1998. A Rolling Stone Brasil classificou Tim Maia como o maior cantor brasileiro de todos os tempos.

18. Criolo

Natural de São Paulo, o rapper, cantor, compositor e ator Criolo começou a participar de disputas de rap em 1989. Em 2004, ele passou a postar gravações caseiras de suas músicas na internet. Seu primeiro álbum, chamado “Ainda há tempo”, foi lançado em 2006. Na mesma época, ele fundou a Rinha dos MC’s. O seu trabalho mais recente é o clipe “Boca de Lobo”, onde faz referência a diversos problemas políticos do Brasil, como o desvio de verbas, a violência sistêmica, em uma realidade distópica.

19. Tim Bernardes

O paulistano Tim Bernardes é músico, compositor, produtor musical e multi-instrumentista. Tim faz parte da banda O Terno, junto de Guilherme D’almeida e Gabriel Basile. Ele concilia a banda com trabalho solo, que se iniciou em 2017 com o lançamento de seu álbum solo chamado “Recomeçar”. Nas músicas, o artista independente trata, principalmente, de relacionamentos amorosos.

20. Cazuza

O carioca Cazuza foi um icônico cantor, compositor e poeta. Filho de João Araújo, que era produtor fonográfico, teve contato desde criança com o meio musical e diversos artistas. Sua carreira se iniciou em 1980, quando integrou a banda Barão Vermelho, com Frejat, Dé Palmeira, Maurício Barros e Guto Goffi. Juntos, lançaram “Pro Dia Nascer Feliz”, “Bete Balanço”, entre outras músicas de sucesso. Em 1985, Cazuza deixou a banda para seguir em carreira solo. Seu primeiro álbum foi “Exagerado”. Em 1989, o músico declarou publicamente ter HIV. No ano seguinte, ele acabou falecendo.

21. Cartola

O cantor, compositor, poeta e violinista Cartola é considerado por muitos críticos como o maior sambista entre os cantores brasileiros. Nascido no Rio de Janeiro, ele foi um dos fundadores da Estação Primeira de Mangueira, em 1928, uma das principais escolas de samba do país. Ele também foi o responsável por compor o primeiro samba da Mangueira, chamado “Chega de Demanda”. Mais tarde, em 1974, Cartola gravou seu primeiro disco solo e acabou lançando canções que se tornaram clássicos, como “As Rosas Não Falam”, “O Mundo é um Moinho” e “Preciso Me Encontrar”. Cartola faleceu em novembro de 1980.

22. Belchior

Natural de Sobral, Ceará, Belchior foi um cantor e compositor, um dos primeiros do nordeste a fazer sucesso nacionalmente com MPB. O álbum “Alucinação”, segundo do artista, é considerado por muitos críticos como o mais revolucionário da história da MPB. Entre suas músicas mais conhecidas estão “Apenas um Rapaz Latino-Americano”, “Como Nossos Pais” e “A Palo Seco”. Belchior faleceu em 2017, aos 70 anos, tendo gravado ao todo quatorze álbuns de estúdio.

23. Nando Reis

Nascido em São Paulo, Nando Reis é baixista, cantor, compositor e violinista. O músico fazia parte da banda de rock Titãs gravando 13 álbuns com o grupo desde 1984 até 2001. A partir daí, decidiu dedicar-se a sua carreira solo. Também produziu muitas músicas com Cássia Eller, que era sua amiga íntima, e Marisa Monte, sua ex-esposa. Nando Reis se apresenta em shows junto da banda Os Infernais.

24. Jorge Ben Jor

O carioca Jorge Ben Jor é um cantor, compositor e multi-instrumentista. Em 2008, chegou a ser considerado o quinto maior artista da música brasileira pela Revista Rolling Stone. Suas músicas tem elementos samba rock, jazz, funk, soul e outros gêneros. Além disso, Jorge traz influências africanas, oriundas da sua mãe, nascida na Etiópia. Suas músicas trouxeram uma inovação pela mistura de ritmos, sendo bem diferentes da MPB e samba que os artistas costumavam fazer.

25. Zeca Pagodinho

Zeca Pagodinho, nascido em Irajá, subúrbio do Rio de Janeiro, é cantor e compositor. Desde pequeno frequentou rodas de samba, influenciado pela família. A primeira música gravada por Zeca foi “Camarão que dorme a onda leva”, em 1983. Em 1986, o artista lançou seu primeiro álbum. Zeca chegou no auge em 2003, com o lançamento de álbum e DVD Acústico MTV, gravado no Rio, se tornando um dos seus trabalhos mais populares.

26. Zeca Baleiro

O cantor, compositor e cronista Zeca Baleiro nasceu no Maranhão, mas despontou sua carreira em São Paulo. Zeca começou a trabalhar com música compondo canções para peças infantis de teatro. Depois viveu em Belo Horizonte, onde cantou em bares. Já em São Paulo, em 1997, lançou seu primeiro álbum “Por Onde Andará Stephen Fry?”. Suas músicas são uma grande mistura de variados ritmos, como samba, baião, rock e pop.

27. Raul Seixas

Nascido em Salvador, o cantor e compositor Raul Seixas, também conhecido como “Maluco Beleza”, foi um dos pioneiros do rock no Brasil. Com 17 discos gravados durante 26 anos de carreira, Raul unia rock e baião nas suas músicas. Em 1974, com o lançamento de seu álbum “Gita”, a música “Sociedade Alternativa” ficou muito famosa como parte de um movimento que contestava a ditadura militar no país. Raul faleceu em 1989, aos 44 anos, de uma pancreatite aguda, causada pelo alcoolismo.

28. Milton Nascimento

Nascido no Rio de Janeiro, o cantor e compositor Milton Nascimento é mineiro de coração, por ter crescido em Minas Gerais. O artista é reconhecido mundialmente como um dos maiores nomes da MPB. Milton, que tem mais de 30 discos gravados, foi adotado na infância e iniciou seu gosto pela música por influência de sua mãe adotiva. Entre suas músicas mais conhecidas estão “Coração de Estudante”, “Canção da América” e “Maria, Maria”, que em 2018 ganhou um novo clipe.

29. César Lacerda

Natural de Diamantina, Minas Gerais, o cantor, multi-instrumentista e compositor César Lacerda começou a estudar música ainda na infância, na escola fundada pela sua mãe. O artista fez parte da banda cLAP junto de Gabriel Túlio e Thiago Sá, lançando dois discos que foram disponibilizados na internet. Já em carreira solo, lançou seu primeiro disco em 2013, chamado “Porquê da Voz”.

30. Russo Passapusso

O cantor e compositor Russo Passapusso, nascido em Feira de Santana, interior da Bahia, iniciou sua carreira com a banda BaianaSysten, em 2008, que teve seu primeiro álbum lançado em 2010. O artista concilia a banda com sua carreira solo desde 2014, quando lançou o álbum “Paraíso da Miragem”. Russo mistura ritmos como hip hop, reggae, arrocha e samba, tanto nas suas músicas solo quanto na banda.

31. Seu Jorge

Jorge Mário da Silva, mais conhecido como Seu Jorge, é natural de Belford Roxo, município da região metropolitana do Rio de Janeiro. Sua juventude foi dura, começando a trabalhar com dez anos de idade para ajudar em casa. Quando seu irmão Vitório foi morto em uma chacina, a família acabou se desestruturando e Seu Jorge foi sem teto por três anos. A virada na sua vida ocorreu quando o clarinetista Paulo Moura o convidou para fazer um musical de teatro. Seu primeiro de sete álbuns solo, “Samba Esporte Fino”, foi lançado em 2001. Além disso, o artista atuou em diversos filmes, como Cidade de Deus e Tropa de Elite.

32. Bezerra da Silva

Nascido no Recife, o cantor, compositor, violonista e percussionista Bezerra da Silva foi para o Rio de Janeiro sozinho aos 15 anos, onde viveu por toda a vida. Bezerra teve uma vida bastante difícil, chegando a ter sido morador de rua em Copacabana e tentado suicídio. O músico foi acolhido por uma terreira de umbanda, onde descobriu que seu destino era a música. Foi então que o artista, que já tinha tido contato com o ritmo coco e com a bateria do bloco carnavalesco Unidos do Cantagalo, começou a se dedicar inteiramente à música.

33. Di Melo

O músico, poeta e artista plástico Di Melo é natural de Recife, mas sua carreira se iniciou quando foi viver em São Paulo, tocando em bares. Em 1975 lançou o seu primeiro disco com a participação de Hermeto Pascoal e Heraldo do Monte, trazendo ritmos como MPB, soul e samba. O single mais recente do músico, chamado “A. E. I. O. U.” foi lançado em 2018.

34. Pepeu Gomes

Natural de Salvador, Pepeu Gomes é cantor, compositor e guitarrista, tendo sido considerado pela revista americana Guitar World de 1988 um dos dez melhores guitarristas do mundo. Em 1970, formou o grupo Novos Baianos com Baby Consuelo, Moraes Moreira, Paulinho Boca de Cantor e Luiz Galvão. Com o fim do grupo, em 1978, Pepeu iniciou sua carreira solo, lançando seu primeiro disco “Geração do Som”, que antecedeu outros 16 álbuns.

35. Djavan

Nascido em Maceió, o cantor, compositor, produtor e violinista Djavan foi viver no Rio de Janeiro aos 23 anos para tentar a sorte no meio musical. O artista tem quase 30 discos lançados, combinando ritmos brasileiros com o jazz e soul norte-americano e a música popular norte-americana. O trabalho mais recente é o álbum “Vesúvio”, lançado em 2018, no qual trata sobre a natureza, além do momento político atual.

36. Rico Dalasam


O cantor e compositor paulista Rico Dalasam é abertamente gay e é um dos nomes que representa a comunidade LGBT no rap. Antes da carreira musical, Rico foi cabeleireiro e editor de moda. Seu estilo é bastante queer, misturando roupas e acessórios sem se preocupar com gênero. O rapper canta sobre vários temas, entre eles a auto aceitação como LGBT e negro.

37. Tom Zé

Nascido no interior da Bahia, Tom Zé é cantor, compositor e arranjador, além de um dos principais nomes do movimento tropicalista nos anos 1960. O artista começou a se interessar por música na adolescência, quando aprendeu a tocar violão. O artista já lançou mais de 20 discos ao longo da sua carreira e segue em atividade musical, aos 82 anos.

38. Lulu Santos

O carioca Lulu Santos é cantor, compositor e guitarrista. Seu contato com a música se iniciou ainda na infância, quando formou uma banda com amigos inspirada nos Beatles. Na adolescência, Lulu fugiu de casa percorrendo o país com hippies. Seu primeiro de mais de 20 discos, chamado “Tempos Modernos”, foi lançado em 1982. Em suas músicas, o artista traz ritmos como pop rock, MPB, soul e disco.

39. Lenine

Além de cantor, Lenine é compositor, arranjador, multi-instrumentista, letrista, ator, escritor, produtor musical e até mesmo engenheiro químico. Lenine impressiona no Grammy Latino, já tendo ganhado em cinco premiações e indicado em quatro. Seu primeiro disco, “Baque Solto”, foi lançado em 1983. O trabalho mais recente do artista é o álbum ”Em Trânsito”, de 2018.

40. Arnaldo Antunes

O músico, poeta, compositor, DJ e artista visual fez parte da banda Titãs por cerca de 10 anos. Mesmo após sair do grupo, fez diversas parcerias e compôs músicas em conjunto com eles. Entre 2008 e 2012 fez parte da banda Pequeno Cidadão. Atualmente, segue em carreira solo e faz parcerias com outros artistas.

41. Toquinho

Nascido em São Paulo, Toquinho, que é cantor, compositor e violinista, começou a estudar música na adolescência. Em 1970, ele compôs sua primeira música de sucesso junto de Jorge Ben Jor, chamada “Que Maravilha”. Uma de suas músicas que ficou mais conhecida foi “Aquarela”, lançada em 1983. O artista participou de dezenas de discos ao longo da sua carreira. Atualmente, Toquinho faz shows com a participação da cantora e sanfonista Lucy Alves.

42. Zé Ramalho

O cantor, compositor e instrumentista Zé Ramalho é natural da Paraíba. Antes de começar a compor músicas, ele já escrevia versos de cordel. Quando jovem, participou de algumas apresentações da Jovem Guarda. Seu primeiro álbum foi lançado ainda na década de 1970. Zé Ramalho já fez parcerias inusitadas, mas muito elogiadas pela crítica, como a apresentação com a banda de metal Sepultura.

43. Tom Jobim

Nascido no Rio de Janeiro, o cantor, compositor, pianista, violinista, maestro e arranjador Tom Jobim é considerado um dos principais criadores da bossa nova e também o maior expoente de todos os tempos da MPB pela revista Rolling Stone Brasil. Em 1963, compôs com Vinícius de Moraes a música brasileira mais ouvida no exterior: “Garota de Ipanema”. Tom Jobim morreu em dezembro de 1994, de uma parada cardíaca, enquanto tratava um câncer de bexiga.

44. João Bosco

Natural de Minas Gerais, João Bosco é cantor, compositor e violinista. Começou a tocar violão com 12 anos e, mais tarde, influenciado por gêneros como jazz e bossa nova e pelo movimento tropicalista, se dedicou à carreira musical. Em 1970, João Bosco conheceu Aldir Blanc, que se tornou seu parceiro em mais de 100 composições musicais, entre elas, “O Bêbado e a Equilibrista”. No ano de 1974, o músico lançou seu primeiro de mais de 20 discos.

45. Mateus Carrilho

O cantor e compositor Mateus Carrilho, nascido em Goiás, despontou na música na Banda Uó, formada em 2010, na qual cantava junto de Davi Sabbag e Candy Mel. A banda de tecnobrega gravou três álbuns e, em 2017, encerrou suas atividades para os integrantes se dedicarem à carreira solo. Em 2018, ele lançou seu primeiro single solo “Privê”, além do EP chamado “Não Nega”, com cinco músicas ao todo.

46. Rubel

O cantor e compositor Rubel, natural de Volta Redonda, no Rio de Janeiro, estudou Artes na Universidade do Texas em Austin, em 2011, onde começou a compor as suas primeiras músicas. O segundo álbum do artista, “Casas”, foi lançado em 2018, sendo nomeado ao Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Rock ou Música Alternativa em Língua Portuguesa.

47. Cícero

O carioca Cícero é cantor, compositor e produtor e teve seu primeiro envolvimento com a música em 2003, quando estava no ensino médio. Integrante da banda de indie rock Alice, gravou dois discos, mas em 2008 o grupo se separou. Suas músicas são bastante inspiradas pela bossa nova e MPB. Seu trabalho mais recente foi “Cícero e Albatroz”, lançado em 2017.

48. Luiz Melodia

O carioca Luiz Melodia foi um cantor, compositor e ator, filho do sambista Oswaldo Melodia. Influenciado pelo pai, começou a se envolver com a música desde muito novo, unindo ritmos como MPB, rock, blues, soul e samba. Ao todo, lançou 16 discos e teve outras várias músicas que fizeram parte de trilhas sonoras na televisão. O artista morreu em 2017 por um câncer de medula.

49. Adoniran Barbosa

Nascido em Valinhas, São Paulo, o cantor, compositor, ator e humorista, João Rubinato era conhecido pelo nome artístico Adoniran Barbosa. Antes de iniciar na música, Adoniran teve diversos trabalhos, como tecelão, encanador, pintor, vendedor ambulante, entre outros. Adoniran ganhou o título de “mais autêntico representante do samba paulista”, com músicas como “Saudosa Maloca” e “Trem das Onze”. O artista faleceu aos 72 anos, por um enfisema pulmonar.

50. Gonzaguinha

O cantor e compositor carioca Gonzaguinha, filho do músico pernambucano Luiz Gonzaga, herdou os dons artísticos do pai. Com 14 anos, compôs sua primeira canção, “Lembranças da Primavera”. Mais tarde, estudou economia e conheceu outros cantores brasileiros, como Ivan Lins, Aldir Blanc, César Costa Filho, entre outros. Juntos, fundaram o Movimento Artístico Universitário (MAU), que resultou no programa na TV Globo, “Som Livre Exportação”, em 1971. Gonzaguinha teve a maioria de suas músicas censuradas pelo DOPS, durante a ditadura militar.

51. Wilson Simonal

O cantor e compositor carioca Wilson Simonal teve o primeiro contato com a música na escola, onde tinha aula de canto orfeônico e participava de um coral. Mais tarde, o artista iniciou, de fato, sua carreira musical, atingindo muito sucesso. No entanto, após um episódio em que Simonal foi tido como informante do DOPS e responsável pela tortura de seu ex-contador, o artista perdeu muito espaço. Simonal lançou mais de 20 discos, porém, muitos tiveram poucas vendas, fazendo com que o músico entrasse em depressão e se entregasse ao acoolismo, o que implicou em uma cirrose que causou sua morte no ano 2000.

52. Dorival Caymmi

Nascido em Salvador, Dorival Caymmi foi cantor, compositor, violinista, pintor e ator. Iniciou seu envolvimento com a música ainda criança, com seu pai, que era músico amador e tocava piano, violão e bandolim, além da mãe, que gostava de cantar. O artista faleceu aos 94 anos em decorrência de um câncer renal.

53. Pedro Morais

O cantor, compositor e instrumentista Pedro Morais é natural de Minas Gerais. No ano de 2006, lançou o seu primeiro disco, homônimo, e se tornou conhecido no cenário local. Mais tarde, produziu mais discos, como o “Sob o Sol”, em 2010, e “Vertigem”, no final de 2013, que nasceu de uma premiação no festival carioca Música Pra Todo Mundo, patrocinado pela Oi Música e realizado no Circo Voador, no Rio de Janeiro.

54. Djonga

Nascido em Belo Horizonte, o rapper, escritor e compositor Djonga é um dos principais nomes do rap nacional da atualidade. Ele cresceu em uma família que ouvia muita música, em especial MPB e foi inspirado pelo funk e rap nacional. Djonga chegou a cursar História na faculdade e trancou o curso um semestre antes da sua conclusão. Seu interesse por compor se iniciou em um sarau de poesia que participava. Em 2017, Djonga lançou o álbum “Heresia”, que foi considerado o melhor do ano na lista da Rolling Stone.

55. Luiz Lins

O pernambucano Luiz Lins é cantor de rap e R&B e tem alcançado grande popularidade com as suas músicas. Com pouco mais de três anos de carreira, um dos seus trabalhos de mais destaque é “A Música Mais Triste do Ano”, que soma milhões de visualizações no YouTube e no Spotify. Outra de suas produções de destaque é a música “Eu To Bem”, que trata sobre o assunto saúde mental, tema muito importante na atualidade.

56. Marcos Valle

Nascido no Rio de Janeiro, Marcos Valle é compositor, cantor, instrumentista e arranjador. Começou a estudar piano clássico com apenas seis anos e alguns anos depois, formou-se em piano e teoria musical. Marcos também fez várias músicas para novelas da TV Globo e foi um dos criadores da canção “Um Novo Tempo”, que até hoje é tema dos comerciais de fim de ano da emissora.

57. Ivan Lins

Nascido no Rio de Janeiro, o cantor, pianista e compositor Ivan Lins é um dos artistas brasileiros de maior sucesso no mundo. Iniciou sua carreira em 1969, quando participava de festivais de música. O seu primeiro grande sucesso como compositor foi “Madalena”, que ficou muito conhecida na voz de Elis Regina.

58. Moreno Veloso

Nascido em Salvador, o cantor e compositor Moreno Veloso é filho de Caetano Veloso. Apesar de ter estudado Física na faculdade, Moreno trabalha como músico. Seu primeiro disco foi lançado no ano 2000 e se chama “Máquina de Escrever Música”. O artista também já compôs músicas para cantores brasileiros de renome, como Adriana Calcanhoto, Roberta Sá e Caetano Veloso.

59. Alexandre Pires

Natural de Uberlândia, Alexandre Pires teve contato com a música desde a infância, por intermédio da sua família. Junto do irmão Fernando e do primo Juliano, ele montou o Só Pra Contrariar (SPC), em 1989. Um dos seus trabalhos mais recente é o CD e DVD “DNA Musical”, no qual o artista conta com as participações de cantores brasileiros de renome, como de Caetano Veloso, Milton Nascimento, Jorge Ben Jor, Martinho da Vila, Gilberto Gil e Djavan.

60. Projota

O rapper, cantor e compositor Projota é natural de São Paulo. Sua notoriedade começou quando o artista passou a vencer com frequência as batalhas de MCs, em 2006 e 2007. Seu primeiro EP, chamado “Cartas aos Meus”, foi lançado no final de 2009. Posteriormente, o rapper lançou dois álbuns: “Foco, Força e Fé” (2014) e “A Milenar Arte de Meter o Louco” (2017).

E aí, deu para renovar a playlist de cantores brasileiros com essa lista? Se você gosta da música nacional, não deixe de conferir também cantoras brasileiras para você renovar a playlist.